ENQUETE SOBRE A PARTICIPAÇÃO DA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO NAS REDES SOCIAIS: AVALIAÇÃO SOB A ÓTICA DE QUEM FREQUENTA REDES SOCIAIS.

                Objetivando conhecer a visão dos usuários de redes sociais acerca da participação da Polícia Militar do Estado de São Paulo nestas redes na internet, foi criada pelo pesquisador uma enquete no site http://www.surveymonkey.com, sendo dado o título: “A Participação da PMESP nas redes sociais na internet: avaliação por quem freqüenta”.

                A pesquisa permaneceu ativa entre os dias 18 e 29 de abril de 2011 e foi divulgada nas redes sociais Twitter através da conta @majpmfigueiredo, no Facebook através da conta https://www.facebook.com/humbertogouveafigueiredo e no Blog do Major Figueiredo (hospedado no link capitaofigueiredo.wordpress.com), de titularidade do pesquisador.

A participação na enquete foi espontânea, sendo elaboradas mensagens nas citadas redes sociais e no blog pelo pesquisador, em média a cada dois dias, convidando e incentivando as pessoas de sua relação de endereços ou seguidores a dela tomarem parte.

A enquete foi respondida por trinta e sete pessoas, que apresentavam o seguinte perfil:

  1. 17 pessoas, ou 58,6%, eram do sexo masculino e responderam possuir nível superior de ensino;

  2. 8 pessoas, ou 27,6 %, eram do sexo feminino e também responderam possuir nível superior de ensino;

  3. 2 pessoas, ou 6,9%, eram do sexo feminino e disseram possuir nível médio de ensino;

  4. 1 pessoa, ou 3,4%, disse ser do sexo masculino e disseram possuir nível médio de ensino;

  5. 1 pessoa, ou 3,4%,  disse ser do sexo feminino e possuir nível fundamental de ensino; e

  6. 8 pessoas, ou 27,6%  omitiram informação a este respeito.

Ainda em relação ao perfil dos entrevistados, considerando as suas idades, foi constatado que:

  1. 17 pessoas, ou 58,6%, disseram ter entre 35 a 45 anos;

  2. 9 pessoas, ou 31%, responderam ter entre 45 e 60 anos;

  3. 2 pessoas, ou 6,9%, responderam ter entre 25 e 35 anos;

  4. 1 pessoa, ou 3,4%, respondeu ter entre 18 e 25 anos; e

  5. 8 pessoas, ou 27,6%, omitiram a idade.

A primeira questão formulada foi “Você acredita ser importante a Polícia Militar do Estado de São Paulo estar inserida nas redes sociais?

 O objetivo do quesito proposto foi avaliar como os usuários de redes sociais analisam em grau de importância a participação de uma Instituição Policial, no caso atuante na área da prevenção, nas redes sociais.

Constatou-se que 100% dos entrevistados responderam “sim” à questão, indicando a relevância da participação da Polícia Militar do Estado de São Paulo nas redes sociais.

Na segunda pergunta, foram as pessoas que se submeteram à enquete, questionadas sobre o conhecimento acerca do site da Polícia Militar do Estado de São Paulo na internet. A questão foi assim apresentada: “A Polícia Militar do Estado de São Paulo possui um site na internet. Você o conhece?

A intenção foi o de apurar o nível de conhecimento das pessoas sobre a home page da PMESP na internet.

Verificou-se pelos resultados que 18, ou 51,4% dos que responderam a pergunta, conhecem e já visitaram o site da PMESP na internet. Outros 6, ou 17,1% dos entrevistados responderam que não conhecem, mas já ouviram dizer a respeito do site da PMESP, enquanto que idêntico número (6 ou 17,1%) responderam não conhecer nem ter ouvido dizer sobre o site da PMESP. Finalmente 5 pessoas, ou 14,3% dos entrevistados, responderam que sabem da existência, porém nunca visitaram o site da PMESP na internet. Outras 2 pessoas (ou 6,9%) não responderam à questão.

Fica evidente que o site da Instituição na internet tem um nível de conhecimento muito relativo, uma vez que pouco mais de 50% dos entrevistados o visitaram. Tratando-se de uma Corporação que presta serviços nos 645 municípios do Estado de São Paulo, com visibilidade constante nos meios de comunicação, seria normal esperar que tivesse um nível de acesso ao seu portal na internet superior ao que foi apurado.

O terceiro quesito foi assim disposto: “Você acredita que a PMESP teria a qualidade de seus serviços melhorados ou aprimorados caso tivesse uma participação mais ativa nas redes sociais?”.

Seu objetivo foi o de colher a impressão dos usuários das redes sociais sobre a possibilidade de maximização da qualidade e amplitude dos serviços prestados pela Polícia Militar do Estado de São Paulo, em decorrência de uma participação maior da Instituição nas redes sociais.

Um total de 30 pessoas, número que equivale a 88,2% das pessoas que se submeteram á enquete responderam “sim” ao quesito formulado. Outras 3 (ou 8,8%) disseram “não” à pergunta feita e apenas 1 pessoa, o que equivale a 2,9% do total de entrevistados respondeu não ter opinião formada a este respeito. 3 pessoas, o que equivale a 8,8% do total da amostra preferiram não responder ao quesito.

O resultado explicita o senso comum da grande maioria no sentido de que a PMESP tem nas redes sociais uma importante possibilidade para ampliar a qualidade de seus serviços prestados à comunidade, além do que poderia, nas redes sociais, ampliar ainda mais alguns dos atendimentos que já oferece à sociedade por outros meios.

O quarto quesito apresentado aos interessados em participar da enquete foi assim colocado: “No Estado de São Paulo existem os Conselhos de Segurança. Qual sua opinião a respeito da criação de Conselhos de Segurança Virtuais?”.

A pergunta teve o propósito de apurar, considerando a premissa de que os entrevistados soubessem da existência da estrutura dos Conselhos de Segurança, que opinião teriam a respeito da ampliação da abrangência de tais Conselhos, através de criação de uma estrutura com os mesmos objetivos, porém em um ambiente virtual, ou seja, em uma plataforma na internet.

O resultado apurado apontou que 25 pessoas, o que equivale a 73,5% do total da amostra, entendem a proposta de criança de Conselhos de Segurança Virtual uma excelente idéia e se proporiam a deles participar, caso isto se viabilizasse. Para outras 8 pessoas, ou 23,5% a idéia de criação de Conselhos de Segurança Virtual é também excelente, todavia não se disporiam a dele participar. Finalmente 1 pessoa (2,9% da amostra) respondeu entender que a idéia é péssima e não participaria caso fosse ela colocada em prática. Outras 3 pessoas, o que equivale a 8,8% do total de entrevistado, preferiram não responder ao quesito.

Importante considerar na análise dos resultados deste quesito que a idéia de criação dos Conselhos de Segurança Virtual é excelente para 97% dos entrevistados que se propuseram a responder o questionamento proposto, embora uma parcela deste total (23.5%) entenda melhor não participar deles, apesar de também achar excelente a proposta.

Uma estrutura semelhante aos Conselhos de Segurança tradicionais, devidamente adaptada à internet poderá se constituir em uma excelente oportunidade para que os órgãos atuantes na área da segurança pública, em especial as Polícias Militar e Civil ampliem a sua interface com a comunidade, obtendo dela maior participação e comprometimento, objetivos que são buscados com os atuais Conselhos de Segurança.

A quinta questão foi assim apresentada: “A Polícia Militar do Estado de São Paulo possui uma conta no microblog Twitter. Você conhece ou é seu seguidor?”

Teve por objetivo este quesito saber o nível de conhecimento pelos usuários das redes sociais desta importante ferramenta de comunicação, o Twitter, cujo uso vem sendo amplificado na Polícia Militar, especificamente por ações de divulgação pelo Centro de Comunicação Social da Polícia Militar.

O microblog Twitter vem, dia após dia, sendo usado pela Corporação como um importante canal de comunicação.

Para 58,8% daqueles que responderam (20 pessoas) a conta da PMESP no Twitter é desconhecida e nem são eles seguidores dela, todavia apontam tal iniciativa da Polícia Militar como muito importante. Um total de 9 pessoas, que representam 26,5% do total de pessoas que responderam ao questionamento disseram conhecer ou ser seguidor da conta da Instituição no Twitter e compreender a iniciativa em possuir uma conta no microblog como algo muito importante. Outras 4 pessoas, ou 11,8% considerando o total de pessoas que apresentaram respostas ao quesito, disseram desconhecer a existência de conta da PMESP no microblog Twitter e também não achar importante que a Instituição tenha tal conta.  Finalmente 1 pessoa, ou 2,9% do total que respondeu ao quesito, disse ter conhecimento da conta da PMESP no Twitter, todavia não achar tal fato importante. Três pessoas, o que equivale a 8,8% do tal da amostra, omitiram resposta a este quesito.

O resultado apontou que existe ainda um grande desconhecimento sobre a conta da PMESP no microblog Twitter, que a cada dia vem se constituindo em um importante canal de comunicação, cujo crescimento em termos de nível de usuários é impressionante.

A grande maioria dos entrevistados considera muito importante o uso do Twitter como ferramenta de comunicação da Corporação com a sociedade, de modo que é preciso iniciativa institucional que culmine em maior divulgação da conta corporativa no microblog, bem como de medidas que possibilite aumento no número de seguidores, vez que o Twitter como rede social cresce exponencialmente. Tais providências devem ser adotadas pelo Centro de Comunicação Social da Polícia Militar do Estado de São Paulo.

A sétima questão apresentada teve o seguinte enunciado: “Você acredita que a Polícia Militar poderia esclarecer melhor suas ações por intermédio das redes sociais?”.

O interesse com a questão foi o de saber a opinião dos usuários das redes sociais sobre o uso de tais redes pela Polícia Militar do Estado de São Paulo quando se fizesse necessário um maior (ou melhor) esclarecimento sobre algumas de suas ações, especialmente as que tivessem maior impacto nos meios de comunicação, como, por exemplo, ocorrências policiais cuja ação da Instituição fosse questionada.

Para 29 pessoas, ou 85,3% dos que responderam ao quesito, a PMESP poderia esclarecer melhor as suas ações, caso o fizesse por meio das redes sociais. Outras 3 pessoas, o que significa 8,8% do total da amostra, responderam que a utilização de redes sociais não resultaria em maior ou melhor esclarecimento das ações da PMESP. Duas pessoas, ou 5,9% considerados os entrevistados que responderam ao quesito, disseram não ter opinião formada sobre o tema. Três pessoas, o que equivale a 8,8% do total da amostra, deixaram de responder ao quesito formulado.

Depreende-se que a Instituição pode (e deve) utilizar as redes sociais como canal para explicar as suas ações. Haverá, por certo, uma abrangência maior na prestação de informações pela Corporação se ela fizer uso das redes sociais para esclarecer fatos que a envolva ou que se refira a ação de um de seus integrantes.

No último quesito foi oferecido um espaço em aberto para que as pessoas que  participaram da enquete, caso quisessem, deixassem as suas manifestações sobre o tema proposto.

As manifestações feitas são as abaixo reproduzidas:

  • “Se houver maior divulgação e espaço para sugestões e críticas, a PMESP vai lucrar muito pois irá conquistar pessoas dispostas a colaborar e compartilhar informações”;

  • “A participação da PM nas redes sociais seria uma forma bastante eficiente de chegar com uma mensagem positiva junto aos jovens, principais freqüentadores. No mesmo sentido, seria uma forma eficaz de identificar e compreender a linguagem desses jovens e estabelecer doutrinas voltadas aos jovens dentro da PM”;

  • “Para a polícia será uma das principais ferramentas de comunicação da atualidade nas investigações de crimes!”;

  • “Acredito que seja de suma importância, nos dias de hoje (era digital) a participação, divulgação e principalmente o monitoramento das redes sociais por parte da Polícia Militar do Estado de São Paulo”;

  • “Boa idéia, a PMESP tem meu total apoio”;

  • “Importante ter a PM nas redes sociais, pois, aumentariam as discussões sobre quaisquer problemas relativos ao seu campo de atuação. Afinal, do debate nasce o melhor do Direito”;

  • “Falta uma página institucional no FB e no Orkut, redes dominantes no Brasil e que abrangem quase todas as camadas sociais. Acredito que aproximar-se da juventude usando outras redes como o Tumblr, por exemplo, também seria uma ação interessante”;

  • “Creio que se é uma rede social, a participação da policia é muito bem vinda assim como autoridades municipais, estaduais, federais também poderiam se utilizar dela pra um maior contato com o povo, saber de seus problemas e receber elogios também quando os fosse merecido!”;

  • “A PMESP precisa se fazer presente em todos os espaços”;

  • “Acho que deveria estar interligadas em prol da comunidade”;

  • “Maneira mais fácil de demonstrar a grandeza do serviço prestado a comunidade, a propaganda e a alma do sucesso”;

  • “É o futuro e não tem como fugir”;

  • “Acho muito legal a PM estar sintonizada com os novos canais de comunicação. São muito rápidos mas bastante restritos ou segmentados. A PM deve ser rápida e abrangente, na minha opinião. Acho que o grande desafio da PM é estar atualizada e presente nas várias mídias. O ponto forte das novas mídias é permitir a interatividade ou feedback instantâneo”;

  • Acredito que é importante…inclusive com serviço nos rádios e TV: rádio comunitárias e tvs comunitárias”;

  • “Não só a Policia Militar, mas todos os órgãos públicos devem estar presentes nas redes sociais, por meio de seu representante máximo”;

  • “Devem estar interagindo, pois as redes sociais têm a participação de um público às vezes de difícil acesso para a Polícia Militar, ou que não vêem com bons olhos a instituição”;

  • “As redes sociais são uma realidade da qual as Instituições prestadoras de serviços, inclusive e principalmente os públicos não podem se afastar. A PM, até pelos altos investimentos que tem feito em tecnologia, não pode ficar fora deste contexto”;

  • “As redes sociais são ótimas fontes e ferramentas de marketing, de informações sociais e policiais, sendo certo que, havendo um plano de comunicação corporativo entendo que num futuro próximo, teremos condições de executar um policiamento virtual, ou seja, utilizando a inteligência virtual para direcionamento de efetivo e viaturas, aumento a eficiência e eficácia das ações policiais. O seu tema é importantíssimo para o atual momento da PMESP, como verificamos nas ações do nosso Cmt Geral, que, por meio das redes sociais, colabora com a imagem institucional, bem como, possui um canal de comunicação direto com seus colaboradores e clientes”;

  • “Creio que seria mais uma forma da PMESP ter acesso a informações que, por outros meios são mascaradas”;

  • “Pode sim ser positiva a união”;

  • “Tudo o que for feito, com o intuito de melhorar a comunicação, deve ser visto como um ponto positivo!”;

  • “Acredito que a PM deve acompanhar a evolução, o crescimento, o desenvolvimento e os novos caminhos que a sociedade contemporânea cria e disponibiliza a qualquer brasileiro. Como podemos ser transparentes, acompanhar as críticas, divulgar nosso trabalho (ou até mesmo modo de agir e pensar) se não estivermos inseridos em cada parcela da sociedade, seja ela virtual ou física?? O Twitter e o Facebook são ferramentas que podem difundir por milhares de pessoas não só no estado, como no Brasil e no mundo tudo aquilo que for de interesse institucional”;

  • “Muito interessante”;

  • “De nada adianta estar inserido nas redes sociais se não há interesse em ouvir as críticas vindas das pessoas. Só respondem o que é conveniente”; e

  • “Não acredito que as redes sociais da PM possam ajudar a percepção de segurança. Até o site é ruim”.

Analisando-se as manifestações apresentada chega-se á conclusão que para a grande maioria dos usuários das redes sociais a participação da Polícia Militar do Estado de São Paulo nas redes sociais, que seja para ampliar a sua comunicação com um público que se comunica principalmente por este meio, quer seja para prestar contas de sua atuação, quer seja para efetivamente prestar serviços à sociedade.

About these ads

4 comentários sobre “ENQUETE SOBRE A PARTICIPAÇÃO DA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO NAS REDES SOCIAIS: AVALIAÇÃO SOB A ÓTICA DE QUEM FREQUENTA REDES SOCIAIS.

  1. concerteza muito importante sim nos dias de hoje, e também concordo que tudo que for feito com intuito de melhorar a comunicação, deve ser visto como um ponto positivo sim, quem é do bem, sempre vai concordar com a participação e a presença da policia em todos os espassos. concordo, é ótimo pode ser muito positivo sim. desejo sucesso parabéns.
    abraço Débora

  2. Major, estou estudando a viabilidade das redes sociais como instrumento para a incrementação do Policiamento Comunitário, porém, com a descentralização nas BCS. Tal expediente seria para o meu tema monocráfico no CAO. O estudo do senhor é muito interessante e gostaria de saber se a minha proposta é viável, sem esbarrar no seu trabalho. Cap Olival

    • Olival, boa noite!

      Vejo sim muito viável a sua proposta e, como todo trabalho científico, haverá sempre um campo a ser explorado.
      O meu trabalho tem um caráter mais exploratório: estou estudando o uso que fazem os nossos gestores operacionais das redes sociais (Cmts de Btl, Coord Op e Cmts de Cias Terr), na sua extensão, eficácia e funcionalidade, bem como no efeito gerado na cultura institucional.
      Não há nenhum trabalho sobre Redes Sociais na PM e este tema, até pelo investimento que a PM tem feito em TIC, o aumento do espectro da Comunicação Social, entre outros, é muito oportuno.
      Siga adiante.
      Precisando, conte comigo!
      Maj PM Figueiredo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s