O mundo em risco…

Contraofensiva de Gaddafi aumenta temor de guerra civil na Líbia; rebeldes mantêm controle de Ras Lanuf

Forças leais ao ditador líbio Muammar Gaddafi lançaram novos contraataques contra cidades tomadas por rebeldes, aumentado os temores de que a Líbia esteja caminhando para uma guerra civil, ao contrário da Tunísia e do Egito, onde as revoluções levaram às renúncias dos antigos líderes.

Os milicianos rebeldes mantêm nesta segunda-feira o controle do porto e do terminal petrolífero de Ras Lanuf, 200 quilômetros ao leste de Sirte, seu próximo alvo militar, e mantêm enfrentamentos em Ben Jawad, no meio do caminho entre as duas localidades, informaram fontes rebeldes à Agência Efe.

Crise na Líbia

 

Foto 69 de 74 – 06.mar.2011 O governo da Líbia anunciou hoje que retomou o controle de Ras Lanuf e Tobruk, cidades do leste do país, além de Misrata (oeste), mas os insurgentes desmentiram as notícias provocando uma guerra de informações no país; na foto, milhares festejam a tomada das cidades em Trípoli Mais Mahmud Turkia/AFP

No terminal portuário, mais de dez baterias guardam o estratégico enclave e cerca de 100 milicianos protegem seus acessos, segundo constatou a Efe.

Aeronaves, aparentemente em missão de reconhecimento, sobrevoaram nesta segunda-feira o povoado, que caiu em mãos rebeldes na sexta-feira na ofensiva dos milicianos para tomar Sirte, a cidade natal do líder do país, Muammar Gaddafi, e uma das principais fortificações em seu poder.

Os feridos nos combates entre ontem e hoje em Ben Jawad e Ras Lanuf foram levados para a cidade de Brega, a 160 quilômetros da localidade, informaram à Efe fontes do posto de controle que fecha o acesso à cidade em poder rebelde.

Os milicianos, que ontem sofreram ataques de aviões em Brega e Ben Jawad, mantêm os enfrentamentos com as forças leais a Gaddafi, que pretende conter o avanço rebelde em uma das maiores fortificações ainda em poder do governo no leste do país.

A contra-ofensiva das brigadas de Kadafi no domingo surpreendeu os rebeldes com uma emboscada em Ben Jawad e conteve o avanço revolucionário pela costa, embora os milicianos tenham tentado manter a iniciativa apesar da concentração de artilharia das tropas do coronel líbio.

Alguns comandantes rebeldes mantêm confiança em beneficiar-se das divisões tribais e dos enfrentamentos entre os próprios partidários de Gaddafi em Sirte, mas por enquanto não contaram com ajuda interior para desestabilizar suas defesas.

O contra-ataque de Gaddafi se estendeu ontem a Misrata, onde um porta-voz do hospital elevou a 20 o número de mortos no ataque com carros de combate nessa grande cidade localizada entre Trípoli e Sirte.

As forças leais ao líder líbio mantêm ofensivas também sobre a cidade de Al Zawiyah, 92 quilômetros ao sudoeste da capital, que permanece cercada há quatro dias.

As brigadas de Gaddafi asseguraram ter recuperado o controle dessa cidade, embora a informação não tenha sido confirmada por fontes independentes, já que há o bloqueio à imprensa.

Apesar das informações das forças pró-Gaddafi, a rede de televisão “Al Jazira” divulgou na manhã desta segunda-feira imagens supostamente gravadas no domingo no centro de Zawiyah que mostravam a cidade ainda sob o controle dos rebeldes.

ONU

No domingo, o secretário-geral da ONU (Organização das Nações Unidas), Ban Ki-moon, convenceu o ministro das Relações Exteriores do regime de Muammar Gaddafi a permitir que uma equipe de “avaliação humanitária” visite Trípoli e nomeou um enviado especial para lidar com o regime, informou seu porta-voz.

O ex-chanceler jordaniano Abdelilah Al-Khatib irá realizar “consultas urgentes” com o governo de Gaddafi sobre a batalha crescente com rebeldes e trabalhar na crise humanitária que ela causou, informou o porta-voz da ONU, Martin Nesirky.

As Nações Unidas exigiram acesso “urgente” à cidade de Misrata, controlada pelos rebeldes, que sofreu ataque das forças do regime, e o secretário-geral da ONU expressou uma preocupação crescente com o que ele chamou de uso “desproporcional” da força por Gaddafi.

Ban pediu que o governo “garanta a segurança de todos os cidadãos estrangeiros e o livre acesso das organizações humanitárias às pessoas necessitadas”. A equipe está sendo organizada pelo Escritório da ONU para a Coordenação de Assuntos Humanitários.

* Com informações das agências internacionais

Fonte: http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/internacional/2011/03/07/contraofensiva-de-gaddafi-aumenta-temor-de-guerra-civil-na-libia-rebeldes-mantem-controle-de-ras-lanuf.jhtm

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s