Resposta para quem propôs a extinção da Polícia Militar

Reproduzo abaixo um texto de autoria de um amigo de Turma, Major PM Nassaro, em contraposição à artigo publicado no Jornal “Folha de São Paulo”, onde um articulista propôs o fim da Polícia Militar.

Vale a pena a leitura. 

 

Soube agora pouco que a Folha de São Paulo publicou hoje um artigo sob o título “Pela extinção da PM”. Algumas pessoas perguntaram qual minha opinião; então, não vou me omitir e vou dar minha posição: 

O articulista filósofo soma argumentos para condenar de forma irresponsável e generalizante as ações da Polícia Militar e sua estrutura, mas o fundo de sua critica no texto – que remete à recente indicação da ONU (uma dentre 170, é bom lembrar…) é a vinculação da polícia com instituições militares. No Brasil, as polícia militares não trabalham vinculadas ao Exército (apenas sua estética é militar: alguém deve dizer isso a ele pois está mal informado). 
Mas, é sempre assim, quando surge uma ocorrência impactante em que morre uma pessoa de certa projeção (como é o caso do empresário que a mídia divulgou exaustivamente) aparecem os “arautos” de plantão que tentam condenar a Polícia Militar como um todo, generalizando alguma eventual falha (que nunca deixou de se apurar, com as devidas responsabilizações se for o caso, ao contrário do que acontece em muitos outros ambientes…). Mas, quando morre um policial em serviço, ou executado por vingança (e vários foram assim vitimados recentemente), a repercussão nunca é a mesma: não há interesse nessa matéria, ela “não merece” o esforço do articulista. 
Então vamos refletir e filosofar para valer, sem medo da verdade. Que país é esse em que a autoridade policial (militar ou civil) é desacatada e o infrator apenas “paga cesta básica” (isso se chegar a ser condenado…note); que país é esse em que o cidadão foge de bloqueio policial e nenhuma responsabilidade é imputada a ele… e por isso muitos irresponsáveis, bêbados e drogados ao volante (empresários ou não), até criminosos, questionam uma iniciativa de abordagem, desafiam ostensivamente qualquer iniciativa que o policial toma para defender a própria sociedade (da qual o policial faz parte), provocam, xingam e até chutam os testículos de um sargento fardado como aconteceu na última sexta-feira a noite em ocorrência em que eu mesmo compareci e registrei na minha região.
Pergunto: por que o crime praticado contra um policial, que representa o próprio Estado, não tem punição mais grave, como acontece nos países apresentados pelos mesmo “pensadores modernos” de sempre como modelo para nós? Querem viver no caos, é isso? Está cada vez mais difícil ser policial ou professor em uma sociedade carente de educação e de aparato legal que não estimule a impunidade. 
Mas eu confio muito em nossa Polícia e nos seus excelentes profissionais (a grande maioria): os cidadãos de bem sabem defendê-la e defendê-los, também. 
Quanto à São Paulo, a Polícia Militar tem mostrado muita eficiência e até poucos erros pela sua dimensão. Não existe no Brasil uma estrutura policial tão bem montada, preparada e administrada como a Polícia Militar de São Paulo. Falhas existem, pois trata-se de uma grande Instituição, com quase 100.000 homens. E vamos continuar corrigindo essas falhas, pois servimos para proteger vidas, fazer cumprir a lei, combater a criminalidade e preservar a ordem pública. Isso é muito sério, uma missão que poucos conhecem bem a ponto de escrever sobre ela com legitimidade e, por isso, a insinuação sobre “extinguir a PM” já soa como irresponsável. 
O filósofo que se propôs a assinar o artigo deveria conhecer melhor a Instituição antes expressar-se com base apenas em leituras superficiais sobre assunto tão grave, material que coleta no próprio jornal que patrocina sua crítica não construtiva e infundada.

Anúncios

2 comentários

  1. Aumaurilio Justo · julho 25, 2012

    Concordo com o relatado acima e lamento viver num país onde existe, na hora de julgar crimes, culposo ou doloso, usa-se “Dois pesos e Duas Medidas..o que é lamentável,,,,,,,

    • Liberdade Sempre · novembro 30, 2012

      PESSOAS EGOCENTRICAS E MEGALO MANIACAS DEVEM PROCURAR OUTRA PROFISSAO , POIS POLICIA CUJA PALAVRA VEM DO GREGO SIGNIFICA – POLIDO , LAVRADO – E NO SENTIDO FIGURADO SIGNIFICA – EDUCADO – O QUE NAO TRADUZ OS ATOS BRUTAIS DA POLICIA MILITAR .
      COITADO DO POVO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s