EM DEFESA DA POLÍCIA MILITAR

Resposta que será dada hoje na tribuna da Câmara dos Deputados pelo Deputado Federal Capitão Augusto, em face de artigo ofensivo dirigido a ele e à família Policial Militar, divulgado na Revista Época.

“A revista Época deste final de semana publicou uma matéria do Sr. Eugênio Bucci, que se intitula jornalista e professor da Universidade de São Paulo. Sob o título de “Reacionário”, o artigo denota todo o preconceito, falta de percepção social e espírito antidemocrático do articulista, o que faz o seu texto mais parecer um excremento intelectual do que uma legítima crítica jornalística.
O jusfilósofo italiano Norberto Bobbio nos ensina que a Democracia é o governo de todos exercido pelo princípio da maioria. Duas premissas básicas podem ser extraídas desta reflexão: Primeira, todos tem o direito de participar das decisões democráticas, o que inclui, evidentemente, os militares. Segundo, a vontade da maioria deve ser respeitada e, portanto, não podemos fechar os olhos e os ouvidos para os aclamos populares.
Assim sendo, alijar os militares da participação da vida política é arrancar-lhes a própria condição de cidadãos, é subtrair-lhes a sua própria condição humana. Os militares, como qualquer outra classe ou grupo de trabalhadores, têm o direito constitucional de contribuir com suas idéias e valores para a construção da democracia brasileira.
E é justamente nessa condição que estou aqui representando não só os policiais militares paulistas, mas todos aqueles cidadãos brasileiros que comungam dos valores de ética e honestidade que tanto cultuamos. Ver-me fardado presidindo a mesa diretora desta Casa do Povo, o que causou tanta irresignação e revolta do insigne articulista, não deveria ser motivo de espanto, mas de reflexão sobre tudo o que isto representa para a consolidação da democracia brasileira. Não estou aqui fazendo populismo, estou aqui lutando por ideais!!!
Ao orgulhosamente envergar a farda cinza bandeirante da Polícia Militar do Estado de São Paulo neste Plenário, não estou me fantasiando de brucutu sem formação moral e cívica, se é que o Sr. Eduardo Bucci compreende o que é formação moral e cívica. Muito ao contrário, estou representando mais de 100 mil brasileiros e brasileiras que todos os dias vestem suas fardas cinza-bandeirante e, deixando para trás seus lares, esposas e filhos, oferecem suas vidas para proteger a vida de pessoas que nem mesmo conhecem, muitas vezes cumprindo o seu juramento de derramar o próprio sangue para servir à sociedade.
As medalhas que os policiais militares carregam nos seus peitos, das quais tanto se orgulham e que por isso a ostentam, não são broches ou penduricalhos, mas o singelo reconhecimento pelas ações meritórias que todos os dias praticam na defesa dos verdadeiros valores democráticos, sentimento talvez difícil de ser compreendido pelo letrado jornalista e professor.
E as ofensas propaladas pelo Sr. Eugênio Bucci no artigo publicado pela revista Epoca não se dirigiram apenas a mim e aos policiais militares, mas também a tantos outros deputados e deputadas e demais pessoas, hetero e homossexuais, que se indignaram, não com a homossexualidade, mas com os atos de desrespeito e ofensa praticados durante a Parada Gay realizada na capital paulista. Defender o que ali foi praticado é, no mínimo, sinal de ignorância democrática.
Realmente vivemos um tempo cinza-escuro, em que os valores éticos estão se perdendo no seio de um Estado corrompido pela ganância e pelo desrespeito ao espírito público.
Um tempo em que aqueles que se intitulam “arautos da democracia”, como parece ser o caso do Sr. Eugênio Bucci, não sabem reconhecer e respeitar o direito do outro, a verdade do outro, ainda mais quando o outro representa a verdade e a vontade de milhões de brasileiros e brasileiras que não suportam mais o apossamento da coisa pública por um grupo que só pensa nos seus interesses, desvirtuando a própria noção de república.
O Sr. Eduardo Bucci parece representar aqueles que só conseguem enxergar a sua suposta verdade e, ao se sentirem ameaçados no se projeto de poder e dominação, atacam como cães raivosos. Só que é bom que saibam que o povo está despertando e exigindo o retorno da ética, da honestidade, do compromisso com o Brasil e os brasileiros. O discurso populista e enganador, por vezes encantador, está com seus dias contados.
Senhores Deputados e Deputadas, vivemos e fazemos parte de um momento muito especial para a consolidação da democracia no nosso país, que será relatado nos livros de história como a retomada do Brasil pelos brasileiros, por isso não podemos nos acovardar diante das críticas rançosas com que nos atacam. Avante!”

Deputado Federal Capitão Augusto.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s