O MÉTODO DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA ESCOLA SUPERIOR DE GUERRA – BASES DOUTRINÁRIAS

(*) Humberto Gouvea Figueiredo

Considera-se o planejamento como sendo uma ferramenta que visa dar racionalidade ao processo na busca pela decisão.
Ele pode ocorrer observando diversas metodologias, algumas das quais com conceitos que se aproximam, em uma ou mais etapas.
O método da Escola Superior de Guerra – ESG possui quatro etapas, que podem ocorrer de forma concomitante no desenvolvimento do planejamento: a primeira é a diagnóstica (responsável pela análise), a política (a quem cabe as escolhas), a estratégia (onde se dá a programação) e a Gestão (onde ocorre a execução do planejamento e o seu controle, o que se dá por meio de indicadores, previstos para avaliar os resultados). Nas fases da estratégia e da gestão já estaremos no que chamamos de “ação” do planejamento.
O método da ESG atém-se até a fase da Estratégia, pois sua missão não inclui o emprego no plano tático, limitando-se exclusivamente á formulação da estratégia (o “como fazer”).
A base doutrinária do método da ESG parte do pressuposto que todas as pessoas possuem necessidades e estas geram objetivos: para o alcance destes objetivos são necessários recursos, os quais devem ser empregados por meio de uma ação, que a doutrina chama de “Poder”.
É a Política que indica o que fazer, cuidando a Estratégia de desvendar como deve ser feito. Em síntese, a Estratégia é definida pela Política.
Para a Escola Superior de Guerra, o Homem é o maior Bem da Nação – o seu preparo (o do homem) é o centro das preocupações da ESG.
O método da ESG tem a natureza governamental: do ponto de vista macro, a Nação é o seu referencial como Sistema. Este, por sua vez, se compõe de diversos subsistemas (educacional, político, esportivo, sindical, etc), sendo o subsistema governo considerado o seu principal referencial.
A primeira etapa do Método, denominada Diagnóstica, é aquela onde se obtém os dados necessários para a realização do Planejamento.
Nela busca-se conhecer os ambientes interno e externo e a sua organização.
É uma etapa de análise, dividida didaticamente em dois momentos: análise do ambiente (análise dos antecedentes, ambiente externo e ambiente interno) e análise do poder (conhecimento dos planos em vigor, apuração das necessidades, levantamento de meios disponíveis e potenciais).
A etapa seguinte é chamada de Política e refere-se a um momento de “escolha”.
Também didaticamente, se divide em duas fases: a elaboração de cenários, que comporta a definição de fatos portadores de futuro e eventos, estudo de cenários extremos e apreciação de cenários probabilístico. Em uma segunda fase, ainda na etapa Política, temos a fase da Concepção Política, que se compõe das seguintes fases: identificação de cenários mais prováveis, verificação de pressupostos básicos (são condicionantes que permitem avaliar a legitimidade, a oportunidade e a conveniência dos objetivos do cenário mais provável orientando o decisor estratégico quanto à escolha do cenário desejado para que ele se consolide como cenário do Planejamento Governamental, podendo ser Ético ou Pragmático), apuração de cenários desejados e definição de Objetivos de Estado e Objetivos de Governo.
A terceira etapa do Método da ESG é denominada de Estratégica, situando-se já no campo da ação e, em síntese, servindo para indicar o “como fazer”.
Na primeira fase desta etapa realiza-se a Concepção Estratégica, oportunidade em que se conhece os Óbices, define-se as Ações que deverão ser realizadas, aplicando o Teste da Adequabilidade, Exequibilidade (ambos eliminatórios) e da Aceitabilidade (este seletivo), define-se a Opção Estratégica e, finalmente, apontam-se as Diretrizes de Execução das Ações eleitas.
Na segunda etapa da Fase Estratégica se dá a Programação, que se compõe da elaboração de Planos, Programas e Projetos e, por fim, a definição de orçamento necessário.
O produto final do Planejamento Estratégico deve ser a Decisão Estratégica, que deve ter três características essenciais: ser simples, ter objetividade e ser amplamente difundida.
A última fase do Método de Planejamento da ESG é chamada de Fase de Gestão: nela ocorrem a execução do Plano propriamente dito e realização de seu controle, que se dá pelo uso de Indicadores, especialmente elaborados ou adaptados para avaliar os resultados alcançados.
Sendo a ESG uma Instituição voltada mais à formulação de ideias e realização de planejamento, esta fase não é executada por ela.
A fase de Gestão se compõe de duas etapas: uma de Execução, quando ocorrem a Coordenação das Ações e a sua Implementação e, finalmente, uma fase de Controle, oportunidade em que se dá o Acompanhamento das Medidas em execução e a Avaliação, por meio de Indicadores, dos resultados alcançados pelo Plano proposto.
De forma muito reduzida, aos que não conheciam, apresento o Método de Planejamento Estratégico da Escola Superior de Guerra.

(*) é coronel da Polícia Militar e comandante do Policiamento na região de Piracicaba.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s