Teoria da Expectativa: como mostrar para a equipe o que você espera deles?

A lógica é simples: para que um navio sobreviva a uma violenta tempestade, todos os seus tripulantes têm que trabalhar em conjunto e de acordo com uma mesma visão, certo? E para que todos saibam exatamente o que fazer, cabe ao capitão a missão de delegar tarefas, especificar técnicas e, principalmente, deixar claro suas expectativas em relação a cada tripulante. Essa analogia, que é bastante visual, ajuda a retratar um dos maiores dilemas vivenciado por líderes de pequenas, médias e grandes empresas: como conduzir seus colaboradores a fazerem o que é necessário sem perder de vista a motivação ao longo desse processo? Pois a resposta para essa pergunta pode estar na Teoria das Expectativas!

Neste post você conhecerá do que se trata essa teoria e entenderá como ela pode revolucionar a interação com seus liderados, melhorando significativamente a maneira com que eles recebem suas orientações. Curioso? Então veja só:

O que é a Teoria das Expectativas?

Criada por Victor H. Vroom, a Teoria das Expectativas propõe uma formulação simples, mas poderosa: é possível compreender com exatidão o que motiva uma pessoa a agir de determinada forma e, consequentemente, torná-la mais motivada e eficaz. E para atingir esse ambicioso objetivo, Vroom criou uma espécie de equação: Motivação = Valor x Instrumentalidade x Expectativa, sendo que:

  • Motivação: a motivação é, basicamente, o motivo da ação, ou seja, o sentimento que impulsiona um indivíduo a agir. Assim, considerando a analogia do início do texto, a motivação seria aquilo que faria com que todos os tripulantes dessem tudo de si para manter o navio a salvo.
  • Valor: o valor é um elemento de ordem pessoal que equivale à compensação enxergada por uma pessoa diante de uma possibilidade. Assim, o valor de um novo emprego, por exemplo, pode estar no aumento salarial ou em uma carga horária menos pesada.
  • Instrumentalidade: de acordo com Vroom, todo indivíduo idealiza uma espécie de recompensa para suas ações. Em uma empresa, por exemplo, alguém pode pensar que será promovido se realizar suas tarefas antes dos prazos estipulados, o que funcionaria como sua noção de instrumentalidade para alcançar um desejo.
  • Expectativa: esse último elemento está diretamente relacionado aos anteriores e se manifesta na percepção do indivíduo em relação à tarefa que se apresenta diante de si. Um dos tripulantes do navio do nosso exemplo poderia julgar impossível lançar a âncora no mar, expectativa negativa que o paralisaria. Outro, porém, poderia classificar a mesma tarefa como simples, o que o impulsionaria.

E como colocar a teoria em prática?

Nesse ponto já é possível perceber que, embora seja subjetiva, a motivação de alguém pode ser detectada por meio daquela fórmula, não é mesmo? Assim, se você deseja motivar um de seus liderados, deixe clara sua missão e faça com que ele identifique não só seu valor como a instrumentalidade que pode ser obtida e a expectativa de sua capacidade para cumpri-la. Se esses três fatores forem perfeitamente interligados, você terá um colaborador motivado e plenamente consciente do que deve fazer.

Mas como toda e qualquer equação, a Teoria das Expectativas também demanda que todos os seus elementos estejam corretos para que o resultado seja exato. Afinal de contas, valor, instrumentalidade e expectativa podem ser contaminados por circunstâncias externas e comprometer todo o projeto. Quer descobrir como isso pode acontecer e conhecer as táticas mais eficazes para combater esse conjunto de adversidades? Então continue de olho!

De que forma a negatividade surge?

Não se engane: pode ser que seus colaboradores acrescentem um valor negativo a alguma das missões de sua empresa. Se você convoca toda a equipe e pede ajuda para atrair um novo cliente, por exemplo, alguns podem pensar que “se esse cliente fechar negócio, terei mais trabalho a fazer, então tomara que ele nem queira ouvir a proposta”. Esse espírito não é nada bom para os negócios, não concorda? Outro elemento em constante risco é a expectativa. Ainda usando o mesmo exemplo, outro de seus colaboradores pode pensar: “esse cliente é grande demais; se ele vier para nossa empresa, eu não darei conta e acabarei pondo tudo a perder”.

Empregando a fórmula (M = V x I x E) em ambos os casos, o resultado será negativo, de forma que a missão provavelmente não será cumprida. Isso acontece porque ao menos um dos fatores está contaminado. Nesse momento, somente uma pessoa poderá mudar o rumo dos acontecimentos e salvar o projeto: você!

E como motivar sua equipe?

Como líder, seu objetivo deve ser manter toda a equipe atuando em total harmonia, afinal, basta uma ponta solta na empresa (seja ela um funcionário desmotivado, um sócio desacreditado ou um colaborador mal-humorado) para que tudo desande. Assim, para colocar a Teoria das Expectativas em prática e mantê-la a salvo das tempestades do dia a dia, você deve apostar em 3 ações práticas:

Transmita valores aos colaboradores

Os tripulantes só se apaixonam pelo navio quando se sentem parte dele. Então faça com que seus liderados compreendam o valor de seus projetos e mostre que todos (ou seja, não apenas você ou a presidência da empresa) serão beneficiados por eles.

Desmistifique expectativas equivocadas

Auxilie cada um de seus colaboradores a se encontrar dentro da companhia, investindo especialmente naqueles que demonstram mais insegurança. Esses liderados precisam saber que você acredita em seu potencial. Para isso, ressalte seus pontos fortes! O segredo está em criar um ambiente de produtividade e cooperação, onde todos saibam para onde ir e estejam conscientes de que foram selecionados a dedo para a jornada.

Mantenha-se sempre acessível

Não exerça uma liderança distante, colocando-se em um pedestal completamente acima de erros. Mostre à equipe que você também possui seus próprios valores, instrumentalidades e expectativas, deixando clara sua disponibilidade para ajudar. Para não restarem dúvidas, ofereça ajuda sempre que possível!

Em um mundo repleto de teorias, uma coisa é certa: um líder capaz de gerenciar expectativas e criar motivações está pronto para conduzir sua equipe rumo ao sucesso!

E você, tem encontrado dificuldades para manter seus colaboradores motivados? Em uma escala de zero a dez, como é seu nível de interatividade com a equipe? Deixe um comentário aqui e compartilhe suas impressões e experiências conosco!

Fonte: http://blog.treinamentoomongeeoexecutivo.com/teoria-da-expectativa-como-mostrar-para-a-equipe-o-que-voce-espera-deles/?utm_campaign=teoria_da_expectativa&utm_medium=email&utm_source=RD+Station

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s