MAIS UM HERÓI MORREU POR VOCÊ

cabo wilker

(*) Humberto Gouvea Figueiredo

Tarcísio Wilker Gomes: você já ouviu falar sobre esta pessoa? Sabe de quem se trata? Acreditaria se eu dissesse que ele morreu por você?
Com chance muito reduzida de errar, creio que você, leitor(a), tenha respondido negativamente nas três perguntas que formulei.
Tarcísio não era era um ator de novelas ou ídolo da música… até em função de seu salário reduzido, não frequentava ambientes refinados, nem podia estar presente em eventos artísticos e culturais, onde poderia talvez ter ampliado o seu rol de amigos e ser mais conhecido.
Wilker, como era conhecido entre nós, escolheu há 14 anos atrás seguir uma carreira para a qual se sentia vocacionado: decidiu ser policial militar.
Mais do que isto, realizou seu sonho e se especializou, servindo e protegendo as pessoas no ambiente das rodovias, tornou-se um policial rodoviário.
Na sua formatura ao concluir o curso de Soldado PM, tal qual ocorre com todos os demais integrantes da Instituição, prestou o juramento sagrado, de “defender a sociedade, com a sacrifício da própria vida”, mas no seu íntimo, assim como também ocorre com os demais, pediu a Deus para que este compromisso nunca chegasse a se concretizar.
No final da tarde do último dia 4/7, o Cabo Wilker vestiu o seu uniforme, abraçou e beijou sua esposa e filho de 8 anos e se dirigiu para o seu quartel para assumir mais um turno de serviço: jamais passaria pela sua mente que nunca mais repetiria estes atos.
No meio da madrugada se dá uma ação de criminosos que marcará Ribeirão Preto para sempre: um roubo em uma Empresa de Transportes e Guarda de Valores, envolvendo mais de duas dezenas de bandidos que dispararam contra tudo e contra todos mais de 1000 tiros em quase uma hora de terror.
E foi na fuga dos infratores da lei que assistimos surgir o mais recente (e infelizmente não único, nem último) Herói da Polícia Militar: Wilker, agindo com exímio profissionalismo estava deitado no solo, protegido pela viatura policial, comunicando-se pela rede rádio orientando seus companheiros, quando um tiro dado por um dos criminosos a mais de 100 metros de distância o atingiu na nuca.
Foi socorrido, mas não resistiu e nos deixou.
Na apuração dos prejuízos da ocorrência, sua vida e a de um morador de rua que também faleceu em função dos fatos, vieram depois dos 60 milhões que disseram ter sido roubado.
Permanecerá para sempre na memória da viúva que deixou, do filho, agora órfão de Pai, da família e dos amigos, mas será, injustamente, esquecido muito em breve pela sociedade.
Já terá sido importante, se nestas poucas linhas, eu tiver convencido você, leitor(a), a refletir sobre o valor de homens e mulheres que se candidatam a Herói…a correr o risco de morrer por você…
Pense nisso!

(*) é coronel da Polícia Militar e comandante do policiamento na região de Ribeirão Preto

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s